Tudo sobre TPM 2.0

 

Tudo sobre TPM 2.0 x Windows 11

 

 

TPM 2.0 (Trusted Platform Module) é um chip de segurança presente em algumas placas-mãe de computadores. Ele é responsável por armazenar informações críticas de segurança, como senhas, chaves criptográficas e certificados digitais, de forma protegida e segura. A função do TPM é garantir que o computador esteja protegido contra ameaças externas, como malware e ataques de hackers.

Neste artigo, vamos explorar o que é o TPM 2.0, como configurá-lo ou habilitá-lo em sua placa-mãe, e quais os benefícios que ele oferece para instalar o Windows 11.

 

 

Benefícios do TPM 2.0 para instalar o Windows 11

 

 

O TPM 2.0 é um requisito obrigatório para instalar o Windows 11 em um computador. Além disso, ele oferece diversos benefícios em termos de segurança e proteção de dados. Com ele habilitado, é possível garantir a integridade do sistema operacional e dos aplicativos instalados, além de proteger a privacidade do usuário.

Outro benefício  é a possibilidade de criptografar dados sensíveis, como senhas e chaves criptográficas, de forma segura. Isso significa que mesmo que um hacker tenha acesso ao computador, ele não conseguirá acessar essas informações sem a chave correta.

 

 

 

 

 

Tenho o TPM 2.0 no meu PC?

 

A primeira versão do componente começou a ser disponibilizada em notebooks em 2006, mas sua implementação em desktops levou um tempo para acontecer. Atualmente, placas-mãe mais recentes já possuem o chip integrado, porém, em alguns casos, ele é desabilitado por padrão e é necessário ativá-lo novamente nas configurações de BIOS.

 

 

Se você não tem certeza de que sua máquina tem o chip, é importante verificar se ele está ativado.

 

 

Para tanto, faça o seguinte: aperte as teclas Windows + R

 

 

 

 execute o código tpm.msc na caixa de texto.

 

 

 

O sistema levará você para o Gerenciamento do TPM no computador local e, se ele for detectado, esta é a garantia de que haverá compatibilidade com o W11; se não for, ele apresentará uma tela como esta:

 

 

 

Por último, é possível verificar o recurso acessando o menu de configurações do Windows 10. Independentemente de estar na barra de pesquisa das Configurações do sistema ou no Menu Iniciar, procure por “tpm” e selecione a opção “Processador de Segurança”. Se a ficha estiver em branco, significa que o TPM da sua placa-mãe não está habilitado.

 

A Microsoft, por sua vez, recomendou adotar essas duas etapas para verificar se o módulo TPM está presente e ativado. Confira o artigo oficial – Clique aqui saiba mais.

 

Requisitos para instalar o Windows 11

 

OU seja, existem outros requisitos necessários para instalar o Windows 11 em um computador. É preciso ter um processador de 64 bits com suporte para no mínimo duas gerações de TPM, 4 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno.

 

Clique aqui tire todas suas duvidas no site oficial – Microsoft

 

Posso instalar o Windows 11 sem TPM 2.0?

 

Por fim não é possível instalar o Windows 11 em um computador que não tenha o habilitado. Isso porque  é um requisito obrigatório para garantir a segurança e a integridade do sistema operacional e dos dados armazenados.

 

No entanto, é possível comprar um módulo TPM 2.0 e instalá-lo em uma placa-mãe compatível, caso ela não tenha o chip de segurança embutido.

 

Portanto o TPM 2.0 é um recurso importante para garantir a segurança e a privacidade de dados em um computador. Além disso, é um requisito obrigatório para instalar o Windows 11, o que significa que todos os usuários que desejam atualizar seu sistema operacional precisam habilitar o TPM 2.0 em sua placa-mãe. Se você ainda não habilitou o TPM 2.0 em seu computador, é hora de fazê-lo para garantir a proteção de seus dados.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Abrir bate-papo
1
Escanear o código
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?